Móveis lideram as altas do varejo em outubro

Home Notícias Móveis lideram as altas do varejo em outubro

De setembro para outubro de 2017, na série com ajuste sazonal, o comércio varejista registrou recuo em 22 das 27 Unidades da Federação.

Roraima (-5,2%), Alagoas (-4,5%) e Mato Grosso (-3,3%) registraram as menores taxas em termos de magnitude. Já Minas Gerais (2,1%) se destacou entre os estados que registraram variações positivas.

Em comparação a outubro de 2016, os resultados das vendas no varejo foram positivos em todas as 27 Unidades da Federação, com destaque, em termos de magnitude, para Rondônia (14,4%), Santa Catarina (13,7%) e Mato Grosso do Sul (11,9%). Quanto à participação na composição da taxa do varejo, destacaram-se, por ordem de influência: Santa Catarina (13,7%) e Rio Grande do Sul (9,6%).

O segmento de Móveis e eletrodomésticos, com crescimento de 10,1 % no volume de vendas em relação a outubro do ano passado, foi responsável pelo maior impacto positivo na no total do varejo de outubro de 2017. Em termos acumulados, os avanços foram de 9,0% de janeiro-outubro e de 5,2 % nos últimos 12 meses. A redução da taxa de juros no crédito à pessoa física, além do impacto positivo da melhora observada no mercado de trabalho influenciaram o comportamento positivo deste setor.

O item móveis, que desde 2013 é pesquisado individualmente (antes estava junto com eletrodomésticos), registrou em outubro alta de 8,3% em volume de vendas e de 9,3% em receita nominal de vendas na comparação com outubro de 2016. Porém, apesar dos bons números de outubro, em volume de vendas o segmento ainda apresenta queda (-4,6%) no acumulado deste ano. Mas em receita nominal de vendas os dados são positivos. De janeiro a outubro, a alta é de 0,8%.

Das 12 regiões pesquisadas pelo IBGE, em 9 os resultados de outubro foram positivos em volume de vendas, com destaque para Espírito Santo, com alta de 58,7%, Distrito Federal, com 50,6% e Pernambuco, com expansão de 50%. Dos três que registraram resultados negativos o destaque ficou com o Ceará, com -30,8%. Por sinal, dos três principais mercados do Nordeste pesquisados pelo IBGE, apenas o Ceará registrou resultado negativo. Os outros dois com resultados negativos em outubro foram Paraná (-15,4%) e Santa Catarina (-1,8%).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  TOP